Avaliação do Usuário

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa

 

É o maior projeto atualmente sob responsabilidade do Fialgo. O Projeto de Monitoramento e Controle do Bicudo em Goiás foi lançado na safra de 2001/2002, quando o inseto começou a ser um problema de grandes proporções para o cotonicultor goiano, e foi o primeiro projeto de controle da praga a ser executado no Brasil. Desde então, o projeto se responsabiliza por monitorar a incidência da praga, coordenar as ações conjuntas de combate e auxiliar o produtor com orientações de manejo da lavoura. Até o ano de 2016, a execução do Projeto estava a cargo da Fundação Goiás, com financiamento do Fialgo. A partir de então, o Fialgo assumiu a execução do projeto e o financiamento está sob responsabilidade do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA).

Os monitores do projeto estão presentes e monitoram todas as lavouras de algodão em Goiás. O monitoramento é feito por meio de armadilhas com feromônios que capturam o inseto. A contagem semanal dos insetos capturados gera o BAS (Bicudo por Armadilha por Semana), índice determinante para o produtor planejar um manejo mais eficiente da lavoura. O armadilhamento das áreas é realizado em duas etapas: a primeira 60 dias antes do plantio, para se detectar o índice de infestação na área a ser plantada com algodão. Posteriormente, é realizado na pré-colheita, para medir a população de inseto e determinar as ações de combate no final do ciclo.

Durante o estágio vegetativo da lavoura, os monitores visitam quinzenalmente todas as áreas cultivadas com algodão no Estado, com o objetivo de detectar a presença e identificar a movimentação do inseto na lavoura. Esse trabalho auxilia a equipe da fazenda na detecção da praga imediatamente após a sua entrada na lavoura, ação determinante para um combate ágil e eficiente. O consultor, especialista no combate ao bicudo, auxilia com sugestões para as ações de manejo mais adequadas a cada uma das situações.

De forma complementar, os monitores destroem as plantas involuntárias de algodão nas margens da estradas e rodovias que cortam o estado, além de vistoriarem algodoeiras e áreas de confinamento de gado que utilizam o caroço de algodão na alimentação animal.

Este trabalho tem refletido na redução da praga e diminuição do uso de defensivos, além de contribuir para o aumento da produtividade e rentabilidade.

Software

Criado e gerenciado pelo Fundo de Incentivo ao Algodão em Goiás (Fialgo), e com apoio financeiro do Instituto Brasileiro do Algodão (IBA), o software do Projeto de Controle e Combate ao Bicudo é uma ferramenta fornecida gratuitamente aos produtores de algodão de Goiás e que utiliza a tecnologia e o georreferenciamento para informar o produtor sobre a presença do inseto na lavoura.

O trabalho da equipe técnica do Fialgo, nas duas etapas do armadilhamento com o georreferenciamento das armadilhas instaladas, gera um mapa detalhado de cada uma das áreas plantadas. As leituras semanais das armadilhas são inseridas online no site, fornecendo ao produtor a visão clara dos locais de maior presença da praga. No monitoramento da área, as informações de detecção da praga na lavoura (presença do inseto, postura e alimentação) são transferidas para o software no exato momento em que o profissional está no campo. No software, o produtor tem a localização exata no mapa do talhão dos pontos onde a praga foi detectada. Qualquer sinal da presença da praga é registrado no software, informando no mapa da lavoura o local exato da presença do bicudo. Gráfico comparativo pulverização x monitoramento permite ao produtor checar a eficiência da pulverização.

No software, os monitores registram ainda os pontos onde foram detectados plantas voluntárias de algodão, facilitando a destruição delas pelos produtores.

Com a utilização do software, a informação chega mais rápido ao produtor e permite visualizar com clareza e detalhamento a incidência da praga em sua lavoura. A agilidade nas ações é fundamental para o sucesso no combate ao bicudo. Os efeitos dessas informações são a redução das pulverizações com defensivos, gerando queda acentuada no custo de produção, além do aumento da sustentabilidade do algodão. Informações com transparência e em tempo real têm resultados diretos no ganho de produtividade no campo.

Clique aqui para acessar o Software do Bicudo.

Dados de monitoramento

Publicações Relacionadas

Versão Flip

Versão Flip

Clique abaixo para visualizar o Promoalgo News trimestral em versão flip:

Acesse ao Promoalgo News em versão flip

Acesse aqui as publicações anteriores

logo agopa

Rua da Pátria, nº 230, Bairro Santa Genoveva Goiânia/GO - CEP: 74.670-300

+55 (62) 3241-0404

Redes Sociais

Newsletter

Para receber as últimas informações da Casa do Algodão em seu e-mail, assine nossa newsletter clicando aqui.

© 2017 Casa do Algodão - Todos os direitos reservados.